• SINDPECO - Sindicato dos Peritos Oficiais Criminais do Estado de Mato Grosso
  • (65) 3622-1399
  • sindpeco@gmail.com












Trabalho de Médicos legistas é essencial para Justiça e Segurança Pública

 O dia do Perito Médico Legista foi comemorado nesta terça-feira (07.04). A profissão, essencial para o esclarecimentos de fatos criminais, é exercida em Mato Grosso por 125 pessoas, lotadas na Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec).

Há 19 anos na função, o perito oficial médico legista Wilson Koiti Tashima, lotado na Gerência Regional de Medicina Legal de Guarantã do Norte, define que o trabalho do legista possibilita à justiça ver os fatos ocorridos e determinar a punição para os culpados.

Sua história na Medicina Legal começou após a sua formatura em Medicina pela Universidade Federal do Paraná. Alguns anos depois, foi nomeado médico legista ‘ad hoc’ para suprir as necessidades da delegacia e da Justiça na região de Guarantã do Norte.

“Devido a isto, surgiu meu interesse e assim prestei o concurso público em 1999 e somente 2001 fui nomeado, e posteriormente para me aperfeiçoar ainda mais, prestei a prova de Titulação em 2002, e assim tenho o Registro de Qualificação de Especialização – RQE em Medicina Legal", relatou.

A atribuição dos médicos legistas é essencialmente servir a Segurança Pública e a justiça e envolve a realização de exames periciais em vivos e também as necropsias com o objetivo de elucidar as circunstâncias de mortes violentas. A elaboração dos laudos permite a análise de fatos ocorridos durante o crime, de armas utilizadas, da causa da morte, entre outros aspectos.

As conclusões obtidas durante os exames são descritas nos laudos periciais que embasam os inquéritos policiais, e denúncias do Ministério Público e as decisões judiciais.

Segundo o legista, a profissão é extremamente desafiadora que exige muito estudo, paciência e tempo dos profissionais. A conduta ética, a clareza e objetividade são características essenciais à profissão.

Na rotina dos servidores, não é incomum se depararem com casos complexos de se desvendar a causa da morte de vítimas encaminhadas para o Instituto Médico Legal. Nestes casos, Dr. Wilson explica que a conduta do médico é realizar a coleta de material genético da vítima, como secreções e imagens que possam auxiliá-los a ter materiais suficiente para estudo posterior, e somente assim, com tempo hábil, emitir o laudo definitivo.

A Medicina Legal é uma área multidisciplinar e envolve a confidencialidade e o conhecimento de diferentes áreas da Perícia Criminal, como também o trabalho integrado às demais carreiras profissionais da Politec.

“Há sempre o objetivo maior do compromisso com a verdade e os fatos, todos sabendo da importância de sua parte, o resultado sempre é positivo quanto a troca de idéias e resultados. O estudo e aperfeiçoamento constante faz parte da atuação em qualquer área profissional, mas na Medicina Legal é fundamental", citou.

Em 2019, o serviço de Medicina Legal em todo Estado levou à conclusão de 30.351 laudos de necropsia, lesão corporal, constatação de violência sexual, psiquiatria forense, dentre outros.

Data comemorativa

O dia 07 de abril foi escolhido para homenagear estes profissionais porque em 1886 o conselheiro João Alfredo Corrêa de Oliveira, então presidente da Província de São Paulo, assinou a lei nº 18, que oficializou a perícia médico-legal no Brasil. A Diretoria Geral da Politec parabeniza todos os profissionais pelo seu dia.

Autor: Politec
Data: 14/04/2020